» Artigos
» Dicas de leitura
» Links Úteis
» Trace sua rota
» Previsão do tempo
» Trânsito Agora
 

» Mudança na Lei dos Portos abre espaço para projeto da Log-In

Flexibilização pode facilitar expansão do Terminal de Vila Velha, com aporte de R$ 148 milhões

A flexibilização de um artigo que regulamentou a Lei dos Portos, publicada no mesmo dia da divulgação do pacote de concessões de infraestrutura e que passou quase despercebida, abre espaço para um antigo projeto de expansão da Log-In. “Mais um passo foi dado”, disse Vital Lopes, presidente da empresa brasileira de navegação doméstica (cabotagem) e operação portuária. A mudança permite a expansão de terminais em áreas contíguas sem necessidade de prévia licitação.

A alteração foi publicada no mesmo decreto que incluiu o maior valor de outorga como uma das regras dos leilões portuários, a grande novidade do pacote. Antes, o adensamento só era possível quando a empresa comprovasse a inviabilidade técnica, operacional e económica para a realização de nova licitação. A nova regra retirou o “e” da sentença e incluiu o “ou”, facilitando a anexação de áreas pelos atuais terminais, desde que elas não tenham viabilidade de serem arrendadas sozinhas.

Deve ajudar a deslanchar pedidos de renovações de arrendamentos vigentes que estão no governo — a maioria deles prevê investimentos com anexação de áreas vizinhas. Um deles é o do Terminal de Vila Velha (TVV), no Espírito Santo, da Log-In. Um aporte inicial de R$ 148 milhões ampliará em 46 mil m2 a área do terminal e acrescentará um berço de atracação com 300 metros. Atualmente, o TVV tem 108 mil m2 e dois berços com 450 metros de cais. O investimento aumentará a capacidade de movimentação de atuais 350 mil Teus (contêineres de 20 pés) por ano para 500 mil Teus.

“Estamos num processo de solicitação de antecipação da renovação. Sempre barrávamos em alguns aspectos jurídicos e necessários para que ele andasse, com esse decreto acreditamos que mais um passo foi dado”, diz
Lopes. O pedido está na agência reguladora do setor, a Antaq, de onde irá, se aprovado, para a Secretaria de Portos, a quem cabe assinar o aditivo que adiantará a concessão de mais 25 anos.

Sobre o interesse em novos arrendamentos, Lopes diz que, neste momento, não há nada no radar. Mas, caso houvesse, seria com parceiros. Recentemente a Log-In, que tem capital aberto na Bolsa, contratou o banco de investimento BR Partners para assessorar na avaliação de possíveis alternativas de negócios. “Neste momento a gente tem, sim, uma busca de capital para investimento.” Informações de mercado dão conta de que a Maersk, grupo líder mundial de navegação, estaria fazendo uma auditoria nos dados da Log-In, com vistas a uma aquisição. Procurada, a Maersk disse que não comenta especulação de mercado.

A holding, de origem dinamarquesa, atua na cabotagem brasileira de contêineres com a subsidiaria Mercosul Line, urna das principais concorrentes da Log-ln. Trata-se de um mercado já bastante concentrado, liderado pela Aliança, do grupo Oetker. E promissor—os volumes de contêineres na cabotagem crescem a dois dígitos por ano. E para cada Teu cheio transportado na cabotagem existem 6,5 Teus que estão no modal rodoviário e poderiam migrar para o navio, aponta estudo do Instituto de Logística e Supply Chain.

Lopes disse não ter a confirmação de que a Maersk esteja estudando os ativos da Log-In. “A Log-In não está à venda, quer dizer, está à venda todos dos dias. O que estamos buscando efetivamente é aumentar a capacidade de recursos para fomentar nossos investimentos”, reitera.

A Log-ln fechou 2014 com prejuízo de R$ 84,2 milhões. O principal negócio é a navegação costeira — onde atua no transporte de contêineres, carga geral e veículos. O nicho em que tem maior cobertura é o transporte de contêineres, com oito navios (quatro próprios e quatro atrelados). Há mais três em construção que irão substituir as embarcações alugadas. Os novos ativos integram o plano de investimento de R$ 1,3 bilhão iniciado em 2007 para a construção de sete embarcações (cinco porta-contêineres e duas graneleiras).

Fonte: Valor

Por: Fernanda Pires De Santos


Fonte: ILOS - Especialistas em Logística e Supply Chain
Link: http://www.ilos.com.br/ilos_2014/mudanca-na-lei-dos-portos-abre-espaco-para-projeto-cia-log-in/
« Voltar ao menu
 
 
CURTA NOSSA FANPAGE FACEBOOK